Comportamento

Silicone é preciso?

Quando Edward Bernays (sobrinho de Freud) leu a mente das pessoas e ajudou a inventar o consumismo em 1891, conseguiu descobrir como vender essas coisas que não precisamos. Silicone provavelmente é uma delas.

Você pode não acreditar, mas os padrões de beleza que a sociedade conhece provavelmente são medidas das quais não “precisamos”. São feitas apenas para vender mais, tanto quanto aquele selfie forçado no rolê pra impressionar o interlocutor(a).

Estamos sempre com PENDÊNCIAS, o tempo passa e continuamos comprando, na maioria das vezes, tudo o que não precisamos. Não é difícil escutarmos a história do CEO fodão que no final das contas percebeu que tava passando mais tempo trabalhando pra comprar lego pra sua filha do que curtindo com ela.

…ou como a história da Karla Keiko. Ela colocou silicone aos 20 anos e hoje confessa que tomou a decisão em um dia ruim, seduzida pelo poder de persuasão do Doutor. Porém ela teve algumas complicações (deslocamento das próteses) e inclusive perdeu a sensibilidade dos mamilos. Depois de muita dor e desgastes emocionais, neste maio e com 28 anos de idade, Keiko decidiu tirar as próteses e transformar sua experiência em um trabalho artístico. Pra começar, lançou o curta Pendências (abaixo), sobre o incômodo da presença do silicone em seu corpo, e também postou todo o processo no instagram (algumas das imagens foram removidas como conteúdo impróprio!).

Pendências – Karla Keiko foi produzido em conjunto com Sara Bonfim e Rafael Bertelli na residência artística 20 Minutos.Mov, em 2018 irá compor a exposição coletiva com o Grupo Memórias Inventadas, sobre a temática feminina.

Processo Cirúrgico, no instagram.
Karla Keiko esteve na nossa primeiríssima edição.

Que é isso novinha?
Ela até poderia ter colocado antes… Aos 16 anos já tem muita menina saindo das clínicas com novas próteses. O critério não é a idade, é o desenvolvimento da mama. É uma intervenção monstra tendo em conta muitas vezes a idade e sabendo que de há gerações somos ensinados a agradar as outras pessoas, acreditando ser em prol do seu bem estar. Ela foi influenciada na época e nos dias de hoje você também pode ser.

Somos influenciáveis?!
Somos todos! Seja religião, café, futebol, por qualquer coisa que no final das contas tirem dinheiro do seu bolso e a sua liberdade da alma. Fiquem atents: é na juventude que você passa a gastar dim-dim e nesse jogo importa apenas que o seu dinheiro seja gasto.

Agora quem diz é você, sobre tudo que compramos:

– É preciso?

Ps: Keiko fica muito feliz em saber que existem mulheres felizes com suas próteses e não está, de maneira alguma, se esforçando em evangelizar o mundo contra o silicone. Seu trabalho gira em torno da sua experiência pessoal e os seus reflexos.

Ps2: Karla Keiko passa bem e continua linda, criativa e maluca <3 Jonas Rafael Rossatto,

Previous Article
Pri Fontes